06/10/2018

Por

AnaAna

Quem casa quer casa… e quem muda de país ou de cidade, também! O mercado imobiliário holandês é saturado e encontrar um imóvel para  chamar de seu nem sempre é fácil. A procura é maior do que a oferta e os preços variam muito de uma cidade para outra. Mas enfim, como alugar uma casa em na Holanda?

Existem basicamente duas formas: pelo setor privado ou o setor público. Eu explico:

Setor privado vs. setor público

Se você está vindo morar por um determinado período na Holanda, o mais provável é alugar uma casa no setor privado. Estas casas não são subsidiadas pelo governo e não há elegibilidade para conseguir alugá-las. Apesar dos preços serem mais altos no setor privado, a probabilidade de encontrar uma casa é bem maior do que no setor público.

A Holanda tem o maior setor de moradias públicas na Europa (sociale huurwoningen), estas propriedades no entanto destinam-se principalmente a pessoas e famílias de baixa renda. O valor da renda é determinado por lei e a espera para conseguir uma destas casas e enorme: de 8 a 14 anos. Tempo que nem todo mundo tem…

Além disso há uma série de requisitos para conseguir uma dessas propriedades, como por exemplo ter renda anual de no máximo € 36.165 (renda tributável de toda a família). Um registro no site WoningNet, onde as propriedades são anunciadas, e você pode buscar casa em apenas um município, e não em todo país.

O setor publico não oferece muita flexibilidade caso você esteja buscando uma casa para os próximos meses, por exemplo. Já no setor privado qualquer pessoa pode alugar – deste que tenha como pagar o aluguel.

Típicas casas em Amsterdam

Como encontrar uma casa para alugar

Comece a pesquisar antes da mudança! Apesar das ofertas de imóveis aparecem diariamente (aqui não existe fiador), não há certeza de que você vá encontrar de cara um lugar bacana e disponível para viver assim que desembarcar em Schiphol ou na estação central. Algumas sugestões para você começar sua busca o quanto antes:

Funda é o maior site imobiliário do país, o foco é venda mas existem opções para aluguel. Pararius é o maior site independente da Holanda para aluguel (não está ligado a empresas ou corporações). Ambos sites disponíveis em inglês.

O MVA é uma associação de corretores e oferece uma ampla pesquisa online de propriedades. Marketplaats e Huurwoningen (em holandês) permitem pesquisar listagens de proprietários e imobiliárias. A Rooftrack é uma iniciativa da WoningNet e oferece uma ampla gama de propriedades disponíveis no mercado de aluguel privado.

Caso esteja buscando um quarto ou alguém para dividir apartamento, veja os sites TenantHub que conecta profissionais na área de Amsterdam, e Kamernet voltado para quartos para estudantes.

Outra opção e contatar um corretor de imóveis. A vantagem é que ele te auxiliará na negociação em holandês e poderá encontrar uma casa com mais rapidez. Tenha em conta que os corretores cobram um valor pelo serviço e que este pode chegar até a um mês do valor do aluguel. Caso esteja buscando alguém, eu tenho um corretora brasileira para indicar, entre em contato com ela – sem nenhuma obrigação – pelo formulário no final deste artigo.

Como alugar uma casa na Holanda

Uma casinha em Amsterdam para chamar de sua <3 foto: EGAC photos

Preços, burocracia e benefícios

Os preços variam de acordo com a localização e tamanho do imóvel. Existe muita diferença entre cidades e bairros – a regra é simples: quanto mais central, mais caro. Consulte um dos sites acima para ter uma ideia dos valores. Tenha em mente que no setor privado é normal pagar um depósito equivalente a um ou dois meses de aluguel, prepare então suas reservas.

Em alguns bairros populares de Amsterdam, o proprietário pode pedir um comprovante de renda, como um contrato de trabalho ou uma prova de que o inquilino tenha dinheiro suficiente para pagar o aluguel durante um longo prazo. Não é necessário ter visto de residente ou BSN para alugar uma casa no setor privado.

Quanto aos contratos de aluguel, estes podem ser determinados por períodos fixos e alterados a critério do locatário e do locador (ou devido a circunstâncias). Leia bem o contrato e negocie o período da sua estadia.

Overnamekosten, ou “custos de aquisições” também são normais por aqui. É o dinheiro que você paga pelos itens móveis que o residente anterior deixa pra trás, como por exemplo cortinas, tapetes e lustres. O preço por estes itens deve ser razoável, negocie! O inquilino que parte não pode cobrar nada pela alvenaria fixa e pelo trabalho de carpintaria, como reboco, chuveiro, aquecimento central e assim por diante.

Como inquilino, pode ser que você tenha direito a um subsídio do governo. Faça um cálculo pessoal no site toeslagen.nl com base em sua idade, renda e aluguel. Site em holandês.

Encontrar uma casa pode ser uma das partes mais difíceis e trabalhosas da sua jornada. Requer pesquisa, paciência e sorte! Tome cuidado com anúncios em mídias sociais e grupos de Facebook. Existem scams e fraudes no setor imobiliário, sim. Gente de má fé existe no mundo todo, infelizmente. Consulte imobiliárias e associações de confiança. E se a oferta ser muito boa, duvide e pesquise.

Se quiser saber mais sobre a vida na Holanda, não deixe de ler o Guia Morar na Holanda.

Se quiser conversar com uma corretora de imóveis, eu tenho uma pessoa para indicar. Ela é brasileira, atende o mercado de Amsterdam e arredores e faz até visita de casa por Skype se precisar.